Páginas

terça-feira, 27 de julho de 2021

Quando não sabemos estabelecer prioridades


Mateus 6.21: “porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração.”.

Preste bem atenção porque esta escolha determinará se você será livre ou escravo. Esta escolha determinará se você será feliz ou infeliz nos seus relacionamentos. Esta escolha determinará se você terá paz ou se você ficará atormentado. Esta escolha determinará se você será amado ou dispensável.

Onde está o teu tesourou?

Existem pessoas que têm como o seu tesouro os bens materiais. Existem mulheres que ficam desesperadas, porque a cunhada tem uma bolsa da moda, e elas não. Porque a amiga tem o carro do ano, e elas andam de ônibus. Porque a vizinha viajou, e elas passaram as férias em casa. O tesouro delas são os valores materiais. Sabe qual é a consequência desta escolha? Um inferno nos relacionamentos, principalmente familiares.

O marido, de repente, já não presta. Não importa se ele é trabalhador, se ele é fiel, se ele é honesto... O que importa é o que ele pode ou não te dar!

A esposa briga todo o dia, fica de cara feia, porque o tesouro dela está naquilo que ela pode mostrar para os outros. Ela quer mostrar para todo mundo o quanto está bem! De repente, o status ficou mais importante que a realidade.

Sabe de uma coisa? Eu nunca vi alguém ser curado por causa de um bem material. Eu nunca vi alguém, por exemplo, ganhar um carro e depois ser curado de um câncer. Eu nunca vi alguém comprar uma bolsa e, com ela, ganhar um marido.

Onde está o teu tesouro?

Existem pessoas que fazem do trabalho o seu tesouro. A pessoa trabalha tanto que, nem tem tempo de usufruir de suas conquistas. Trabalha tanto, que não tem nem tempo para a família. 

Existem pessoas que fazem da família o seu tesouro. Quantas mulheres eu vejo que, após os filhos casaram, simplesmente perdem o sentido da vida! Ter filho é maravilhoso, mas não pode ser nossa única razão de viver.

Quando Jesus fala para colocarmos o Reino de Deus em primeiro lugar, Ele quis dizer: “Se você me colocar em primeiro ligar, todas as outras coisas vão para o lugar certo.”.

Restabeleça suas prioridades

Quando eu coloco Deus em primeiro lugar, eu organizo a minha vida! Antes de começar qualquer atividade pergunte-se: “O que o Senhor espera de mim? O que é melhor para Ele?”.

Quando você prioriza o seu relacionamento com o Senhor, você recebe paz na família, sabedoria para lidar com as questões financeiras, luz para aproveitar cada fase da minha vida e força para conquistar.

Veja bem onde você está colando a sua prioridade, para você não jogar sua vida fora e não ficar sozinho.

Veja bem o que você está fazendo com cada dia de vida que o Senhor te deu.

Coloque o Senhor em primeiro lugar, e as outras coisas serão acrescentadas. 

Pense nisso!

quinta-feira, 15 de julho de 2021

Escolha ser livre


Números 13: 30 a 33 “Então, Calebe fez calar o povo perante Moisés e disse: Eia! Subamos e possuamos a terra, porque, certamente, prevaleceremos contra ela. Porém os homens que com ele tinham subido disseram: Não poderemos subir contra aquele povo, porque é mais forte do que nós.

E, diante dos filhos de Israel, infamaram a terra que haviam espiado, dizendo: A terra pelo meio da qual passamos a espiar é terra que devora os seus moradores; e todo o povo que vimos nela são homens de grande estatura. Também vimos ali gigantes (os filhos de Anaque são descendentes de gigantes), e éramos, aos nossos próprios olhos, como gafanhotos e assim também o éramos aos seus olhos.”

Esse é o tipo de escravidão que você mesmo se impõe. É uma questão de escolha, não de condição!

Vou citar um exemplo! Recentemente, eu aconselhei uma moça que perdeu a mãe. Sabe, queridos, despedir-se de alguém que você ama não é nada fácil. Ninguém é substituível. Mas nós temos uma escolha! Ou escolhemos sofrer aquela perda a ponto de ficarmos enfermos, como foi o caso dela, ou podemos clamar: “Senhor, ensina-me a viver sem essa pessoa. Ensina-me a viver de forma diferente! Eu não quero que a pessoa que foi o motivo da minha alegria seja o motivo do meu sofrimento!”.

A felicidade está em nossas mãos, está ao nosso alcance. Existem pessoas que não se abrem nem para serem consoladas. Ainda que Deus tenha muitas alegrias e portas abertas, elas se convenceram de que a vida acabou.

Sua mente vira escrava desta situação, e você não admite ser livre!

Existem mulheres que falam: “Meu marido foi embora. Eu não admito ser feliz sem ele!”. Elas se tornam escravas desta perda e pagam com suas próprias vidas, sem ao menos se darem conta de que Deus tem outros caminhos.

Na passagem que lemos no início do Pensamento do Dia, vemos um povo que havia recebido uma promessa de Deus. Mas, para eles, havia só possibilidade de vitória se eles enfrentassem um povo menor. Eles achavam que não teriam condições de enfrentar os mais fortes. Eles eram escravos desta ideia fixa. Mas, no Senhor, a vitória já estava garantida.

Não aja da mesma forma. Seja livre para crer que Deus tem o melhor! Quebre com toda a escravidão e limitação da sua vida.

Faça de Isaías 54 a sua verdade! Alargue o seu entendimento! Não feche mais as portas que Deus abriu.

Não imponha mais condições, aceite ser feliz. Existe felicidade além daquilo que nos tornava dependentes de pessoas ou situações.

Nem sempre as coisas que a gente quer vão realmente deixar a gente feliz!

Para comprovar esta afirmação, eu fiz um teste. Em um dos cultos em que eu ministro, eu perguntei: “Quem aqui já deu graças a Deus porque Ele não atendeu todas as suas orações?”. Quase todos levantaram a mão!

Confie no Senhor. Os caminhos d'Ele são mais altos que os nossos! O que Ele tem é maior do que nossa capacidade ou condição!


Pense nisso!

domingo, 11 de julho de 2021

Faça uma aliança com a vida!


Jó 19.25 a 27: “Porque eu sei que o meu Redentor vive e por fim se levantará sobre a terra. Depois, revestido este meu corpo da minha pele, em minha carne verei a Deus. 

Vê-lo-ei por mim mesmo, os meus olhos o verão, e não outros; de saudade me desfalece o coração dentro de mim.”

Em um curto espaço de tempo, Jó perdeu seus bens e seus filhos. Seu corpo estava debilitado e cheio de tumores abertos. Era uma situação realmente desesperadora.

Seus “amigos”, em vez de consolá-lo, acusaram-no: “Qual pecado você cometeu para precisar passar por tudo isso?”. Até a esposa dele, a única que sobrou da família, atormentava-o: “Jó, amaldiçoa seu Deus, e morre!”.

Em meio a tudo isso, ele se levanta cheio de convicções e afirma: “Porque eu sei que o meu Redentor vive e por fim se levantará sobre a terra. Depois, revestido este meu corpo da minha pele, em minha carne verei a Deus. Vê-lo-ei por mim mesmo, os meus olhos o verão, e não outros; de saudade me desfalece o coração dentro de mim.”.

Sabe qual era o segredo de Jó? Mesmo passando por sucessivas calamidades, ele tinha compromisso com Deus e com a vida! Cada dia, era uma dor, uma perda e uma afronta. Mas ele sempre se renovava no Senhor: “Eu sei que o meu redentor vive! Eu sei que existe um propósito superior para todas estas situações que eu estou enfrentando!”.

Hoje, eu quero te perguntar: Você tem aliança com o quê? Existem pessoas que têm aliança com a morte, e falam: “Por que Deus não me mata de uma vez? Por que Ele não me leva de uma vez?”. Estas palavras, obviamente, não vão te matar, mas, com certeza, vão atrair o mal para a sua vida.

Provérbios 13.2 e 3: “Do fruto da boca o homem comerá o bem, mas o desejo dos pérfidos é a violência. O que guarda a boca conserva a sua alma, mas o que muito abre os lábios a si mesmo se arruína.”

Há pessoas que têm aliança com a destruição! Há outras que têm aliança com os problemas! Elas, simplesmente, assumem a cara do problema. Quem olha para elas enxerga uma pessoa problemática.

Em compensação, existem pessoas que têm um compromisso com a vida. Você entra no hospital para consolá-las, mas sai consolado. São pessoas que passam pela tempestade louvando e adorando a Deus: “Está tudo bem! O Senhor tem me sustentado! Eu sei que Ele vai me dar vitória!”.

Sabe o que eu aprendi?  Que cada um se alimenta do fruto que sai de sua boca! Então, querido internauta, se você fala ‘Tomara que eu morra!’, você está envenenado sua alma. É com a morte que você quer assumir um compromisso?

Hoje, eu quero te fazer um convite: Faça uma aliança com a vida! Faça um compromisso com a solução!

Como vou resolver? Como sair desta situação? A porta é Jesus Cristo! Ele é o início de um tempo de alegria, restituição, vitória e ressurreição!

Aquelas palavras de Jó abriram a porta para um tempo de libertação e restituição. No final, todos aqueles que o criticaram tiveram que contemplar a obra que o Senhor fez na vida dele.

Deus veio e disse: “O único que falou coisas boas ao meu respeito, em meio a essas situações, foi Jó! Se vocês querem ser abençoados, peça para que ele ore por vocês! Da boca dele, eu aceito oração!”.

Então, querido, professe palavras que te liguem a Deus, que tragam solução e bênção para a sua vida!

Deuteronômio 30.19: “Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida...”

Escolha a vida! Escolha Jesus. Escolha renascer em Cristo.

Sabe, sempre que há uma crise, eu procuro ver o lado bom. Porque, desta forma, eu consigo reavaliar todas as coisas e reagir de forma diferente, ou seja, sem desespero! Faça o mesmo!


Deus tem um tempo de restauração e restituição para a sua vida! No lugar da tua humilhação e do teu choro, haverá dupla honra! 

Ter aliança com a vida é abrir caminhos para ser restituído, renovado e justificado!


Pense nisso!

quarta-feira, 7 de julho de 2021

É tarde demais! Será?


Hoje, eu quero falar com vocês sobre ansiedade! Eu vou usar como base uma das parábolas de Jesus mais conhecidas, a do Filho Pródigo.

Lucas 15.11 a 32: “ Continuou: Certo homem tinha dois filhos; o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me cabe. E ele lhes repartiu os haveres. Passados não muitos dias, o filho mais moço, ajuntando tudo o que era seu, partiu para uma terra distante e lá dissipou todos os seus bens, vivendo dissolutamente. Depois de ter consumido tudo, sobreveio àquele país uma grande fome, e ele começou a passar necessidade. Então, ele foi e se agregou a um dos cidadãos daquela terra, e este o mandou para os seus campos a guardar porcos. Ali, desejava ele fartar-se das alfarrobas que os porcos comiam; mas ninguém lhe dava nada.

Então, caindo em si, disse: Quantos trabalhadores de meu pai têm pão com fartura, e eu aqui morro de fome! Levantar-me-ei, e irei ter com o meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus trabalhadores. E, levantando-se, foi para seu pai. Vinha ele ainda longe, quando seu pai o avistou, e, compadecido dele, correndo, o abraçou, e beijou. E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho.

O pai, porém, disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, vesti-o, ponde-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés; trazei também e matai o novilho cevado. Comamos e regozijemo-nos; porque este meu filho estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado. E começaram a regozijar-se. Ora, o filho mais velho estivera no campo; e, quando voltava, ao aproximar-se da casa, ouviu a música e as danças. Chamou um dos criados e perguntou-lhe que era aquilo. E ele informou: Veio teu irmão, e teu pai mandou matar o novilho cevado, porque o recuperou com saúde.

Ele se indignou e não queria entrar; saindo, porém, o pai, procurava conciliá-lo.  Mas ele respondeu a seu pai: Há tantos anos que te sirvo sem jamais transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito sequer para alegrar-me com os meus amigos; vindo, porém, esse teu filho, que desperdiçou os teus bens com meretrizes, tu mandaste matar para ele o novilho cevado. Então, lhe respondeu o pai: Meu filho, tu sempre estás comigo; tudo o que é meu é teu. Entretanto, era preciso que nos regozijássemos e nos alegrássemos, porque esse teu irmão estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado.”


A culpa sempre traz ansiedade e preocupação. É uma verdadeira loucura!

De repente, você não se deu conta do casamento abençoado que você tinha e, por causa de uma ilusão, jogou tudo para o alto... De repente, você não se deu conta da importância do ministério para a sua vida e, por causa de alguns conflitos, abandonou tudo... De repente, você não se deu conta do emprego abençoado que você tinha e, por causa de um descontentamento, saiu chutando o balde...

Diversas situações nos trazem sentimentos de culpa, mas sabe de uma coisa? Só sentimentos de culpa não te levam para lugar algum... Como eu havia citado anteriormente, eles ainda vêm acompanhados pela ansiedade! É um tormento descomunal!

A culpa ter faz sentir indigno de se aproximar de Deus. Você acaba se projetando no mal. Para você, é o fim da linha!

O sentimento de culpa precisa produzir em você o arrependimento. O arrependimento começa quando você para de se justificar: “Errei por causa disso!”...  “Errei por causa dele!”... “Errei por causa daquilo!”... “Fui enganado!”... Mas você errou e ponto! Assuma a responsabilidade!

Seja prático: “Senhor, errei! Lave-me com o Teu sangue. Tenha misericórdia da minha vida. Senhor, me dê graça e forças para voltar!”.

Você errou como: mentindo, roubando, se prostituindo, prejudicando seu colega de trabalho? Então, é isso que você vai falar!

O arrependimento começa quando assumimos os nossos erros e confessamos ao Senhor. O próximo passo é ter atitudes de arrependimento!

Aquele jovem se humilhou para o pai. Sabe, muitas vezes, a gente subestima o poder da graça e do amor! Quem deu seu único filho já se entregou faz tempo. Na Palavra, está escrito que aquele que não poupou seu único filho, como não nos dará, junto com o Espírito Santo, todas as coisas? Não é só ser restituído, mas é receber uma transformação completa!

É ser transformado para não cair mais neste abismo e fazer deste erro uma oportunidade de ser restaurado, transformado e restituído.

Aquele moço assumiu seus erros e se humilhou: “Eu quero voltar, mas eu não mereço ser tratado como filho. Trate-me como um servo! Perdão, pai!”.

Sabe o que aconteceu? O pai o recebeu de braços abertos e com uma grande festa.

Aquele jovem recebeu roupas novas e um anel de autoridade! Autoridade para não cair mais, autoridade para assumir seus erros e autoridade para vencer a culpa!


Livre, perdoado e restituído, você passa a ter certeza de um futuro abençoado! 

Pense nisso!

quinta-feira, 1 de julho de 2021

Carvão ou diamante?


Romanos 8.28 e 29: “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.”

Nós fomos criados com uma missão: voltar ao projeto original. Fomos criadas à imagem e semelhança de Deus. Como Jesus se relacionava com o Pai? Ele se ofertou. Despojou-se de toda sua glória para ser um homem e nos mostrar como viver aqui na terra. Depois, Ele se entregou como sacrifício vivo para a nossa salvação. No terceiro dia, venceu a morte e ressuscitou!

Sabe, muitas pessoas não sabem encarar o dia da dor e do sacrifício. Elas fogem da presença de Deus e se perdem no meio do caminho.

Os dias de dor, de pressão e de enfermidade não trazem para elas a ressurreição, mas trazem a morte, a morte de valores, a morte da fé....

O que você vai fazer no dia mau? O que você vai fazer no dia da perda?
  
Sabe, além de manifestar a glória de Deus, a natureza nos ensina! Vou citar um exemplo! Você sabia que o carvão tem a mesma composição química do diamante? Como pode serem tão iguais, mas se apresentarem de formas tão diferentes?

Os diamantes são obtidos sob altíssimas pressões a partir do magma presente no interior da Terra. Foram necessários vários séculos para que camadas de magma fossem sendo depositadas umas sobre as outras, acarretando em forte pressão. O magma foi sendo comprimido até se petrificar.

Já o carvão surge de um processo bem mais simplificado e acessível, ele é obtido a partir da decomposição de folhas, vegetação e árvores. O local escolhido é embaixo da terra, onde as temperaturas se elevam em relativa pressão. O carvão é formado a partir das mudanças físicas e químicas propícias a essas condições, num tempo bem inferior ao que origina o diamante.

O que podemos concluir?

Que o carvão representa aqueles que não suportam o dia mau e trilharam um caminho que os deixa vulneráveis.

Já o diamante representa as pessoas resistentes, que se entregam como uma oferta e não desfalecem no dia da provação. Representam as pessoas que fizeram das situações ruins um motivo para continuar!

Delas, saem luz e vida. O diamante, além de valioso, é uma das pedras mais resistentes da natureza.

Você nasceu para ser um diamante, uma joia lapidada por Deus!

Em meio à adversidade

Se tudo coopera para o bem daqueles que amam ao Senhor, não deixe que esta situação traga morte!

O Senhor há de fazer disso um diamante na sua vida, um ponto de luz que anuncia uma nova história!


Pense nisso!