Páginas

terça-feira, 23 de junho de 2020

Deus traz à existência o que não existe


Romanos 4: 17 “...como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí.), perante aquele no qual creu, o Deus que vivifica os mortos e chama à existência as coisas que não existem.”

Há muitas pessoas que entram em crise e deixam de confiar em Deus, porque se deparam com situações totalmente opostas às promessas d'Ele.

Elas se sentem enganadas, traídas, usadas, frustradas e acabam trilhando o caminho da incredulidade. Tornam-se, muitas vezes, destruidoras da fé, principalmente da fé alheia.

Por que isso ocorre? Porque elas não sabem lidar com as promessas do Senhor.

Por que, afinal de contas, Deus nos dá promessas?

1- Para que a gente resista no dia mau e mantenha os olhos no autor e consumador da fé.

A fé precisa ser provada!

Abraão e Sara receberam a promessa de que teriam um filho, mas ambos não tinham condições físicas para isso. Mesmo assim, Abraão continuou acreditando, e a promessa se manifestou.

A promessa não depende de suas condições físicas, financeiras e sociais. Deus chama à existência as coisas que não existem, e ponto! O milagre vem de Deus, não dos homens ou de circunstâncias.  

2- Para que saibamos que o mal, a adversidade, a perseguição não são definitivos, mas passageiros, e logo abrirão espaço para que as promessas se manifestem!

O que vence o mundo é a nossa fé.

3- Para que sejam bússolas em nossa caminhada. Assim não andaremos por vista, mas por fé.

4- Para que mantenhamos nossa comunhão com Deus, pois só assim seremos capacitados em dons e entendimento espiritual para vivermos as promessas.


Pense nisso!

quarta-feira, 17 de junho de 2020

Mais forte do que nunca!


Neemias 8: 10b “... Portanto não vos entristeceis, porque a alegria do Senhor é a nossa força.”

O caminho é árduo e difícil, mas com a alegria do Senhor e muita fé, venceremos e destruiremos as muralhas. 

Se o mar não se abrir, andaremos sobre as águas, porque servimos a um Deus vivo, o Todo-Poderoso, amável, admirável, bondoso, justo, maravilhoso, o Pai Eterno.

Em Isaías 54: 14, está escrito que nenhuma arma poderá nos derrotar, e que toda a boca que se levantar contra nós, em juízo, será condenada. Esta é a herança dos servos do Senhor e a nossa justiça vem d´Ele. Ele promete nos amar eternamente. Somo suas ovelhas amadas e queridas.

Quando aceitamos a Jesus Cristo como nosso único Senhor e Salvador, adquirimos uma linda marca que nos distingue do restante da multidão. Ele diz para cada um de nós: “Tu és meu servo, e a ti escolhi e não te rejeitarei. Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus. Eu te esforço, te ajudo, te sustento com a minha forte mão”.

Isto quer dizer que iremos passar por situações em que vamos ter medo, muito medo, que podemos até ficar em estado de choque – que é mais ou menos, o que quer dizer o termo “pasmado” – Mas a promessa é: “Não se deixe levar por esta situação! Eu estou com você.”.

Nos momentos de fraqueza, Jesus Cristo nos faz fortes e renova a nossa disposição. Este é o segredo da nossa vitória.

Não há nada mais frustrante do que você machucar, ferir, falar mal de alguém, e vê-lo em pé, alegre, como se nada houvesse acontecido!

Só que, agora, isto tem que ser verdadeiro!

Mas, Bispa, como eu vou me alegrar numa situação dessas? Alegre-se na esperança de que o teu Deus é fiel, e que isto não vai ficar deste jeito.

Deve ter algum propósito para essa situação, que você nem consegue explicar, pela dor e sofrimento que está sentindo. Entretanto, ao pensar na vitória e na honra que virá através de tudo isso, é possível se alegrar! Portanto, alegre-se no Senhor!

Levante-se! Tire essa “cara de choro”, porque maior do que o problema é aquele que habita em você!

Quero finalizar o Pensamento de hoje com 2 Coríntios 4: 17 “Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz, para nós, eterno peso de glória, acima de toda comparação.”.


Pense nisso!

sexta-feira, 12 de junho de 2020

Será que existe amor verdadeiro?

Cantares 8.6 e 7 “Põe-me como selo sobre teu coração, como selo sobre teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura, o ciúme; as suas brasas são brasas de fogo, são veementes labaredas. 

As muitas águas não poderiam apagar o amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens da sua casa pelo amor, seria de todo desprezado”.

Existem algumas palavras e promessas na Bíblia, que, às vezes, você lê e questiona: Será que isso existe mesmo? Será que alguém pode colocar outra pessoa como um selo em seu coração? E, assim, todo o conteúdo dele não seria violado? E, assim, todo aquele amor, toda aquela disposição, toda aquela doação, e todo aquele cuidado não seriam manchados?

Será que realmente as muitas águas não poderiam apagar o amor? Uma enfermidade, uma morte, uma dificuldade financeira, um levante, uma perseguição, calunias, difamações, dias de guerra, dias de luta, dias de ganhar, dias de perder, dias de muito choro, dias de muita alegria... Será que realmente, em meio a tantos impedimentos, o amor pode prevalecer?

Sabe, certo dia eu resolvi assistir um filme que me recomendaram... Para ser bem sincera, não consegui assistir até o final, pois era chato demais, dizem que ele ganhou um Oscar; só se for na categoria “Chatice”, né?

Mas, não vou negar que teve um trecho que me chamou a atenção, de tão absurdo que foi. O ator estava conversando com a atriz, sobre uma carta que ele escreveu aos 20 anos para ele ler quando tivesse 40. Quando completou essa idade, ele decidiu abri-la. Nela estava escrito, mais ou menos, assim: “Eu sou você com 20 nos de idade. Eu espero que ao ler esta carta, você já esteja divorciado!”.

Como pode? Que sonho é esse? Ele não estava nem casado e já pensou em se divorciar? Olha, vou ser bem honesta! Uma pessoa que casa, já como objetivo de se divorciar não pode ser normal! Eu que sou normal não posso compactuar com isso! Depois daquela cena, o filme acabou pra mim!

É absurdo? É! Mas, infelizmente, muitas pessoas vivem essa realidade. Assumem, como verdade, costumes e determinados conceitos, que divergem com a realidade que Deus tem para nós.

Eu quero dizer que todas as palavras que estão na Bíblia são verdadeiras. Quem escreveu ou viveu ou presenciou! Eu também sou testemunha dessa veracidade! Eu tenho um selo no meu coração! O selo do meu coração chama-se Estevam, uma pessoa integra, séria, limpa, um homem que me faz sonhar todos os dias, que faz meus olhos brilharem, que me protege, que me guarda, que me honra, que é fiel em todas as suas atitudes, ele é amoroso, um verdadeiro poeta...

São tantas as qualidades que ele possui, que talvez você até duvide e ache que eu tirei de algum livro! Mas é a verdade da minha vida! Ele escreveu uma história de amor no meu coração e me ensinou a andar pelo caminho do amor.

Sua fidelidade, sua integridade, sua limpeza, seu caráter, sua firmeza de convicções me fazem acreditar na humanidade. Estar com ele é tão bom, ele é o meu melhor amigo, o amor da minha vida, que me fez sonhar deste os treze anos de idade, quando me pediu em namoro; e é assim até hoje! O que falar da voz que sempre está ao meu lado para me incentivar, pra me ensinar, me motivar e me ajudar a mostrar o caminho? Meu desejo é ser cada dia melhor pra ele e honrá-lo em todos os seus caminhos!

As muitas águas, com certeza, não podem apagar um grande amor! E ainda que alguém viesse e desse todos os reinos da face da terra, de todos seria desprezado por este grande amor! São mais de 42 anos que eu vivo essa verdade, em nosso casamento!

Que o meu testemunho sirva para você entender que a Bíblia não é um livro de utopias e promessas vazias! São verdades que podem se manifestar! Abra-se para vivê-las! O que me uniu ao Apóstolo foi o nosso amor pelo evangelho e pelo Senhor! Nossa prioridade sempre foi o altar! Este é o segredo para viver um grande e verdadeiro amor! Busque, em primeiro lugar, o Reino de Deus!


Pense nisso!

quarta-feira, 3 de junho de 2020

Quem disse que a solução está distante?


João 5. 1 a 9: “Passadas estas coisas, havia uma festa dos judeus, e Jesus subiu para Jerusalém. Ora, existe ali, junto à Porta das Ovelhas, um tanque, chamado em hebraico Betesda, o qual tem cinco pavilhões. 

Nestes, jazia uma multidão de enfermos, cegos, coxos, paralíticos [esperando que se movesse a água. Porquanto um anjo descia em certo tempo, agitando-a; e o primeiro que entrava no tanque, uma vez agitada a água, sarava de qualquer doença que tivesse].

Estava ali um homem enfermo havia trinta e oito anos. Jesus, vendo-o deitado e sabendo que estava assim há muito tempo, perguntou-lhe: Queres ser curado? Respondeu-lhe o enfermo: Senhor, não tenho ninguém que me ponha no tanque, quando a água é agitada; pois, enquanto eu vou, desce outro antes de mim. 

Então, lhe disse Jesus: Levanta-te, toma o teu leito e anda. Imediatamente, o homem se viu curado e, tomando o leito, pôs-se a andar. E aquele dia era sábado.”

Mesmo estando próximo ao local da cura – o tanque de Betesda –, aquele homem ficou, durante 38 anos, paralítico, ou seja, tempo o suficiente para desistir. Talvez, você que está lendo este post nem tenha essa idade, mas está se identificando com a passagem bíblica, porque está enfrentando alguma enfermidade. Quem sabe até uma depressão. Pois é! Este texto é mesmo para você!

Para aquele moço ser curado, ele precisava ser liberto, em primeiro lugar, das mágoas do passado e do espírito de depressão. Ele precisava, antes de tudo, ser curado em sua alma.

Quando Jesus Cristo perguntou se ele queria ser curado, em vez de dizer “sim” ou “não”, ele respondeu: “Senhor, não tenho ninguém que me ponha no tanque, quando a água é agitada!”.

Sabe, com tantos anos de experiência, eu cheguei à conclusão de que, geralmente, as pessoas que estão com depressão não estão abertas a ouvir ninguém, muito menos a voz da solução. A tristeza, o abandono, as mágoas, a falta de perspectivas em relação ao futuro, simplesmente, bloquearam seus pensamentos. Elas não conseguem enxergar um caminho. O que elas têm são as respostas que a depressão preparou, não importa qual seja a pergunta.

Hoje, você vai deixar a “cartilha da depressão” para trás e vai responder a seguinte pergunta: Você quer ser liberto desta depressão? “Ah, Bispa! Como ser liberto, se eu já tentei de tudo?”. Querido, essa não foi a pergunta que eu fiz! Você quer ou não quer ser curado? “Mas, Bispa! Como ser curado, se eu nem tenho plano de saúde?”. Você não entendeu a minha pergunta. Você quer ser curado? “Bispa, como posso ser curado, se eu não tenho mais ninguém!”.

Se você não consegue responder “sim” ou “não”, com certeza, sua mente está bloqueada pelas mágoas, pela falta de perdão. Quem quer ser liberto encontra um caminho. Quem não quer encontra uma desculpa. Vou perguntar de novo: Você quer ou não quer ser curado? “Quero, Bispa!”. Então, hoje mesmo, coloque-se na presença do Senhor e clame até que a paz d'Ele invada completamente seu coração. 

No começo do ano, eu aconselhei uma pessoa que estava com depressão, quando eu disse para ela procurar uma igreja, ela respondeu: “Se eu tiver forças, eu vou!”. Sabe o que eu disse depois? Eu disse: “Você não vai porque tem forças, você vai porque você crê. Você vai, porque precisa e ponto final!”. 

Claro que, nesta fase de pandemia, não podemos estar fisicamente na igreja, mas temos para onde correr... Por meio das redes sociais, podemos oferecer um acompanhamento pastoral.

Para ser liberto, você precisa tomar uma posição, ou seja, não espere que as pessoas te carreguem! O mais interessado na sua libertação precisa ser você.

Talvez, você não tenha ninguém que seja por você, assim como aquele rapaz não tinha. Mas Jesus estava ali, e Ele também está com você.

Romanos 8.31: “... Se Deus é por nós, quem será contra nós?”.

Sabe, aquele homem esperava receber ajuda e um lugar onde só havia pessoas doentes. Todos, ali, tinham alguma necessidade. Às vezes, agimos da mesma forma. Estamos buscando apoio de quem também precisa de ajuda – talvez, até mais do que nós –. Eu aprendi, na minha caminhada, que ninguém pode dar aquilo que não tem.

“Mas, Bispa, a senhora não entende. Eu tenho um tio muito rico. Ele pode, sim, ajudar no meu tratamento. Não vai custar nada para ele.”. Você já parou para pensar que ele também está enfermo? Está, porque o deus dele é o dinheiro. A enfermidade dele é a avareza e a falta de compaixão. Como ele pode te ajudar, se ele também precisa de libertação? Mas o dono de toda a prata e todo o ouro e o Médico dos médicos, te fala hoje: “Eu posso te ajudar? Quer ser curado?”.

Depois de curar aquele homem, Jesus disse: “Tome o seu leito e ande!”. Você precisa fazer o mesmo! Você precisa se movimentar e tomar uma decisão! Em vez de se lamentar, você vai profetizar a sua cura. Desta forma, você será liberto de toda a depressão!

A Palavra de Deus vai te ensinar a viver! Jesus não é um ponto, é um caminho. Andando por Ele, você jamais será confundido.


Pense nisso!