Páginas

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Por que não agora?

Provérbios 25.11: “Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo.”


Sabe, eu aprendi que nunca podemos esperar o “momento ideal” para dizer “eu te amo”. Por que não podemos fazer isso agora? Toda hora é hora! Todo dia é dia!

Hoje, o meu post será inspirado no livro “Coração de Mãe”, uma obra que possui cartas de mães para filhos e de filhos para mães.

A carta que eu quero repartir com vocês hoje eu escrevi para a minha mãe. Confira um trechinho abaixo:

Por que não agora?

Mãe, hoje, eu percebo o quanto eu sou grata a Deus por seu sacrifício e entrega de amor por mim.

O que dizer das muitas noites em que eu estive doente, e você dormia sentada no chão, apoiada na cama, mas nunca deixou de levantar-se e trabalhar no outro dia, para nos dar além do que você podia?

Seu serviço foi por amor a Deus, sempre orando e ajudando a obra do Senhor, em todos os seus desafios, incentivando-nos a participar junto com você.

Tantas coisas a fazem admirável, especial, única! Você é uma mulher digna de ser chamada de mãe, filha, esposa, irmã e serva de Deus.

Você me ensinou que eu poderia alcançar e viver meus sonhos, mesmo que, para isso, eu precisasse transpor o impossível; trabalhando, sem me permitir cansaços, e honrando ao Senhor, amando-o e buscando-o com todas as minhas forças.

Para que deixar para depois? Quero que saiba agora que, se pudesse escolher uma mãe, escolheria você.

Peço a Deus que a conserve, para que possa ver os milagres que Deus vem fazendo por mim; que Ele retire todas as suas dores e lhe conceda a colheita merecida de alguém que vive para amar a Deus, honrar seu marido e ver sua família abençoada, espalhando sua fé no evangelho de Jesus.

Abençoe, Deus Pai, a minha mãe, como só Tu sabes abençoar.

Muitas vezes, você espera uma ocasião especial para dizer o que você sente, mas eu aprendi que todos os dias são especiais. Você nunca mais viverá um dia como hoje.

Às vezes, nós separamos para os nossos queridos, para os nossos amados, o pior que nós temos: o pior do nosso humor, o pior das nossas palavras, o pior dos nossos comportamentos...

A palavra certa dita na hora certa é consolo, é libertação, é tudo o que, muitas vezes, aqueles que nós amamos tanto – e que, se agente deixar de ter, vai sofrer muito – estão precisando.

Que, em vez de ficar atento aos erros e procurando “culpados” para todos os seus problemas, você possa agradecer a Deus pela família que você tem e possa se levantar para lutar com armas espirituais, sabendo que a principal delas é o amor!


Pense nisso!