Páginas

sexta-feira, 20 de dezembro de 2019

Uma mãe de fé



1 Samuel 1.11: “E fez um voto, dizendo: SENHOR dos Exércitos, se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva te não esqueceres, e lhe deres um filho varão, ao SENHOR o darei por todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha.”

Ana tinha tudo para viver um sonho de amor... Mas se deixou levar pela frustração de não poder ter filhos. Seu marido, Elcana, acabou se casando com outra mulher – o que era permitido por lei, quando a primeira esposa não podia engravidar.

Esta segunda esposa, Penina, teve vários filhos e, por conta disso, acabava humilhando e provocando Ana, que, mesmo sendo amada incondicionalmente pelo marido, mergulhou em um mar de depressão.

Certo dia, Ana foi ao tabernáculo e orou a Deus de uma maneira diferente, não mais pedindo um filho para si, mas para entregá-lo ao Senhor.

Depois daquele voto, Deus lhe concedeu seu sonho, e ela se tornou mãe, não só de um, mas de outros filhos. Sendo que o primeiro de seus sete filhos, o qual ela realmente entregou para que servisse no templo, em cumprimento ao voto que fizera. Samuel foi um grande profeta e sacerdote. Foi ele quem ungiu Davi rei de Israel.

O que fez tudo mudar?

Ana se sentia frustrada, infeliz e sem perspectivas de futuro. Suas expectativas em relação à maternidade não se cumpriram no tempo que ela esperava, nem do jeito que ela queria. Ela passou a ter pensamentos terríveis sobre si e sobre o Senhor.

Ela precisava vencer tudo isso, inclusive as provocações pelo fato de ser estéril. Tinha que vencer a si mesma e derrotar a esterilidade de uma maneira definitiva. Tinha que vencer a depressão e a amargura. Ela precisava parar de servir aos seus problemas e passar a servir a Deus.

Ana deu a volta por cima quando:

1- Experimentou o poder da oração

Ela chegou à presença de Deus humilhada, deprimida e desiludida. Ela se sentia tão sozinha e sem valor, que mais do que um filho, naquele momento, ela precisava sentir que tinha um Deus. Um Deus que a acolhesse, a amasse, a ouvisse, que enxugasse suas lágrimas, que a fizesse sentir que sua vida, apesar das sentenças contrárias, tinha um propósito.

Ela precisava crer que, acima de todos os seus fracassos, existia um Deus que não se enganou ao criá-la. Talvez, naquele momento, ela já nem acreditasse mais que o Senhor a ouviria, depois de tanto tempo sem resposta, mas seria sua última tentativa.

Ao se derramar em oração na presença de Deus, com sinceridade, o Senhor tirou o peso de seus ombros e lhe encheu de esperança. Ela não saiu gravida de um filho, mas gravida da promessa. Uma promessa que nunca poderia falhar.

2- Aprendeu a desejar para Deus e experimentou o poder de um voto

Durante a oração, Ana percebeu que, até então, desejava ter um filho para não ser mais chamada de estéril, para que seu marido não se casasse com outra, para não ser humilhada, para se sentir completa, para esfregar na cara de todos que falaram mal dela, para ser valorizada... Entretanto, nenhuma dessas razões abriu os céus e o foi chave para o milagre.

Conduzida pelo Espírito Santo – ciente da necessidade que a Casa do Senhor tinha de ter um sacerdote que sucedesse Eli – ela desejou um filho para entregar a Deus, para esta obra.

Quando fez este voto na presença do Senhor, sua sorte mudou. Por meio do seu voto, Ana entrou em aliança com Deus, ou seja, tudo que era d´Ele passou a ser dela também, gerando vida, bênção e graça.

Onde Deus está, não há aridez ou esterilidade, mas há vida abundante.

3- Cumpriu o voto e, por esse motivo, recebeu além do que pediu, pensou ou imaginou

Mais tarde, ao cumprir seu voto e levar Samuel, ainda criança, para ser criado pelo sacerdote Eli, Ana adora ao Senhor em oração.

O voto que supre a Casa de Deus, em primeiro lugar, quebra as palavras contrárias sobre nossas vidas, traz uma fertilidade não conhecida; assim como nos faz viver maravilhas, ou seja, o que não poderia existir em nossas vidas de manifesta.

1 Samuel 2.1 e 2: “Então, orou Ana e disse: O meu coração se regozija no SENHOR, a minha força está exaltada no SENHOR; a minha boca se ri dos meus inimigos, porquanto me alegro na tua salvação. Não há santo como o SENHOR; porque não há outro além de ti; e Rocha não há, nenhuma, como o nosso Deus.”

1 Samuel 2.21: “Abençoou, pois, o SENHOR a Ana, e ela concebeu e teve três filhos e duas filhas; e o jovem Samuel crescia diante do SENHOR.”

O voto traz à existência o que não existe e nos faz mais que vencedoras.

Seja uma mulher-chave como Ana e libere bênçãos do céu com atitudes espirituais, como o voto!

Pense nisso!

quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

Não existem perdas, existem propósitos



João 9.1 a 11: “Caminhando Jesus, viu um homem cego de nascença. E os seus discípulos perguntaram: Mestre, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Respondeu Jesus: Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus. É necessário que façamos as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar.

Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo. Dito isso, cuspiu na terra e, tendo feito lodo com a saliva, aplicou-o aos olhos do cego, dizendo-lhe: Vai, lava-te no tanque de Siloé (que quer dizer Enviado). Ele foi, lavou-se e voltou vendo. Então, os vizinhos e os que dantes o conheciam de vista, como mendigo, perguntavam: Não é este o que estava assentado pedindo esmolas?

Uns diziam: É ele. Outros: Não, mas se parece com ele. Ele mesmo, porém, dizia: Sou eu. Perguntaram-lhe, pois: Como te foram abertos os olhos? Respondeu ele: O homem chamado Jesus fez lodo, untou-me os olhos e disse-me: Vai ao tanque de Siloé e lava-te. Então, fui, lavei-me e estou vendo.”

Ter entendimento é enxergar tudo com clareza. É deixar de andar de acordo com seus medos, carências, frustrações, complexos e deduções. É deixar de ser manipulado mentalmente e emocionalmente.

Isaías 11.2: “Repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do SENHOR.”

Na advocacia, existem leis que podem ser interpretadas de diferentes formas. A mesma pode tanto condenar quanto inocentar alguém.

A passagem de João 9 nos mostra o momento em que os discípulos se depararam com um cego de nascença. Qual era o conceito deles? Que aquele rapaz estava enfermo por conta de um pecado – ou dele ou dos seus pais.

Muitas vezes, quando passamos por alguma adversidade, somos julgados desta maneira. Em vez de recebermos apoio, somos questionados: “O que você fez para isso acontecer? Qual brecha você abriu?”.

Se você está passando por isso, tenha consciência de que Jesus Cristo morreu na cruz para que fossemos perdoados e limpos de todos os pecados!

Antes de dar ouvidos aos julgamentos, lembre-se de que está tudo perdoado e muito bem pago!

1 João 1.9: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.”

Talvez, você esteja passando por uma fase de sucessivas perdas e chegou à conclusão de que é o fim da linha.

Noemi perdeu o marido, os dois filhos e todos os bens. Ao vê-la passando por tudo isso, em quais conclusões você chegaria? Certamente, você acharia que havia algo de errado com ela, como uma maldição, por exemplo!

Eu imagino o que pode ter passado na cabeça dessa mulher: “Por que o Senhor não me levou também? O Senhor só me deixou viva para me castigar, para que eu sofresse até desejar a morte!”.

Isso seria o obvio, mas Deus tinha um plano para ela: ser bisavó de Davi, o maior rei de Israel.

Se os filhos dela tivessem lhes dado netos quando ainda moravam em Moabe, quais seriam as consequências?  Ter descendentes idólatras e consagrados a entidades malignas.

Por que Deus permitiu que Noemi continuasse viva? Porque ainda haveria a possibilidade de que ela tivesse netos criados debaixo da bênção do Senhor. Naquela época, o parente mais próximo poderia se casar com a nora viúva e, assim, dar continuidade à descendência. Noemi foi avó por parte de sua nora, Rute!

Elas moravam em Belém. Ali, nasceu Obede, avô de Davi, de quem Jesus era descendente! Então, depois de tudo isso, podemos concluir que Noemi era uma mulher amaldiçoada ou muito abençoada?

E aquelas perdas? Noemi teve de aceitá-las e deixar que o Senhor trabalhasse em sua vida...

Passar por perdas, muitas vezes, é necessário para que ganhemos valor – assim como uma peça de mármore que é trabalhada até ser transformada em uma linda escultura! Essa “forma” é o que nos coloca dentro do plano de Deus! Se permitirmos, ele molda o nosso caráter. Somos como pedras brutas nas mãos d’Ele

Romanos 8.28: “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.”

Voltando à história do cego de nascença, Jesus “clareou” o entendimento dos seus discípulos: “Ninguém pecou. Isso ocorreu para que Minha glória se manifestasse na vida dele!”. Jesus, então, curou-o, e a vida dele nunca mais foi a mesma.

Não permita que mais nada roube sua paz! Lembre-se de que as perdas moldam nossa vida para o melhor de Deus, desde que estejamos abertos para isso!

Deus tem uma missão para cada um de nós! Ele não faz nada “de propósito”, mas com “um propósito”. É tudo uma questão de entendimento!

Jeremias 29.11: “Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais.”

A partir de hoje, mude suas percepções, pois, para quem estar em Deus, não existem perdas, existem propósitos!

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

O que fazer quando estão falando mal de você?


Neemias 6.3: “E enviei-lhes mensageiros a dizer: Faço uma grande obra, de modo que não poderei descer; por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse, e fosse ter convosco?”.

O Senhor chamou Neemias para reconstruir os muros de Jerusalém, e, quando os opositores da obra souberam que o muro tinha sido edificado e que nele não havia nenhuma brecha, tentaram intimidá-lo através de uma conspiração. Eles diziam: Venha ao nosso encontro. Estamos nas aldeias e temos uma coisa muito importante para te dizer. Você não tem noção do que as pessoas estão falando ao seu respeito!

A conspiração era tão grande, que eles contrataram Noadia, uma profetiza, para falar “em nome de Deus”, para que Neemias ficasse preocupado com os comentários e deixasse a obra de lado.

Que crueldade! Sabe qual foi a reação de Neemias?

Através de seus mensageiros, ele deu o seguinte recado: Estou fazendo uma grande obra e não posso parar!

As pessoas não se limitam em apenas falar mal de você, mas fazem questão de mostrar isso! Sabe por quê? Para te intimidar, te desviar do foco, para te desestruturar, para te fazer perder a linha!

Neemias estava cercado de inveja. Os vizinhos queriam, de qualquer jeito, paralisar a obra. Enquanto Neemias motivava o povo, eles colocavam empecilhos.

 A Palavra de Deus nos adverte em relação a pessoas assim.

2 Timóteo 3.1 a 5: “Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te."

Por isso, nestes casos:

1- Fuja! Se puder, delete de todas as redes sociais

Já percebeu que quando você está feliz e bem resolvido, sempre aparece alguém no Facebook com indiretas para, literalmente, azedar seu dia? Você não precisa de amigos assim. Alias, quem disse que isso é amizade?

2- Ocupe-se com a obra de Deus, com sua família e com seu trabalho!

Faça o dobro! Sabe, ninguém tem inveja ou fala mal de derrotados! Estes, eles já ignorara, faz tempo!

Em Neemias 4.8 e 9, está escrito: "E ligaram-se entre si todos, para virem guerrear contra Jerusalém, e para os desviarem do seu intento. Porém nós oramos ao nosso Deus e pusemos uma guarda contra eles, de dia e de noite, por causa deles.".

3- Ore, jejue e coloque esta situação diante do Senhor

A vingança pertence a Deus. Sabe, o fato de você continuar de pé, firme e inabalável já é uma grande vingança e uma prova, incontestável, de que maior é aquele que está em você.
Isso foi exatamente o que Neemias fez.

Neemias 4.3 a 5: “E estava com ele Tobias, o amonita, e disse: Ainda que edifiquem, contudo, vindo uma raposa, derrubará facilmente o seu muro de pedra. Ouve, ó nosso Deus, que somos tão desprezados, e torna o seu opróbrio sobre a sua cabeça, e dá-os por presa, na terra do cativeiro. E não cubras a sua iniquidade, e não se risque de diante de ti o seu pecado, pois que te irritaram na presença dos edificadores.”

4- Lance toda sua ansiedade diante de Deus e clame até que a paz do Senhor invada seu coração.

Isso te protegerá e te ajudará a realizar, sem alteração de ritmo ou de ânimo.

Filipenses 4.5 a 7: “Seja a vossa equidade notória a todos os homens. Perto está o Senhor. Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus.”

5- Confie na justiça de Deus!

Não permita que isso contamine seu coração. Tenha consciência de que quem quer falar mal de você não vai mudar de opinião com suas explicações ou com os seus revides.

Romanos 8.31 a 33: “Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.”


Pense nisso!

terça-feira, 17 de dezembro de 2019

Não seja mais devorado pelos seus problemas



Daniel 6.11 a 28: “Então, aqueles homens foram juntos, e, tendo achado a Daniel a orar e a suplicar, diante do seu Deus, se apresentaram ao rei, e, a respeito do interdito real, lhe disseram: Não assinaste um interdito que, por espaço de trinta dias, todo homem que fizesse petição a qualquer deus ou a qualquer homem e não a ti, ó rei, fosse lançado na cova dos leões? Respondeu o rei e disse:

Esta palavra é certa, segundo a lei dos medos e dos persas, que se não pode revogar. Então, responderam e disseram ao rei: Esse Daniel, que é dos exilados de Judá, não faz caso de ti, ó rei, nem do interdito que assinaste; antes, três vezes por dia, faz a sua oração.

Tendo o rei ouvido estas coisas, ficou muito penalizado e determinou consigo mesmo livrar a Daniel; e, até ao pôr-do-sol, se empenhou por salvá-lo. Então, aqueles homens foram juntos ao rei e lhe disseram: Sabe, ó rei, que é lei dos medos e dos persas que nenhum interdito ou decreto que o rei sancione se pode mudar.

Então, o rei ordenou que trouxessem a Daniel e o lançassem na cova dos leões. Disse o rei a Daniel: O teu Deus, a quem tu continuamente serves, que ele te livre. Foi trazida uma pedra e posta sobre a boca da cova; selou-a o rei com o seu próprio anel e com o dos seus grandes, para que nada se mudasse a respeito de Daniel.

Então, o rei se dirigiu para o seu palácio, passou a noite em jejum e não deixou trazer à sua presença instrumentos de música; e fugiu dele o sono. Pela manhã, ao romper do dia, levantou-se o rei e foi com pressa à cova dos leões. Chegando-se ele à cova, chamou por Daniel com voz triste; disse o rei a Daniel: Daniel, servo do Deus vivo! Dar-se-ia o caso que o teu Deus, a quem tu continuamente serves, tenha podido livrar-te dos leões?

Então, Daniel falou ao rei: Ó rei, vive eternamente! O meu Deus enviou o seu anjo e fechou a boca aos leões, para que não me fizessem dano, porque foi achada em mim inocência diante dele; também contra ti, ó rei, não cometi delito algum.

Então, o rei se alegrou sobremaneira e mandou tirar a Daniel da cova; assim, foi tirado Daniel da cova, e nenhum dano se achou nele, porque crera no seu Deus.  Ordenou o rei, e foram trazidos aqueles homens que tinham acusado a Daniel, e foram lançados na cova dos leões, eles, seus filhos e suas mulheres; e ainda não tinham chegado ao fundo da cova, e já os leões se apoderaram deles, e lhes esmigalharam todos os ossos.

Então, o rei Dario escreveu aos povos, nações e homens de todas as línguas que habitam em toda a terra: Paz vos seja multiplicada! Faço um decreto pelo qual, em todo o domínio do meu reino, os homens tremam e temam perante o Deus de Daniel, porque ele é o Deus vivo e que permanece para sempre; o seu reino não será destruído, e o seu domínio não terá fim. Ele livra, e salva, e faz sinais e maravilhas no céu e na terra; foi ele quem livrou a Daniel do poder dos leões. Daniel, pois, prosperou no reinado de Dario e no reinado de Ciro, o persa.”

Hoje, eu tenho uma palavra de Deus para a sua vida. Quem sabe você foi jogado em lugar de humilhação. Quem sabe você foi jogado em uma cova de enfermidade. Quem sabe seus sonhos tenham sido dilacerados na cova dos impossíveis. Colocaram uma pedra nesta cova, e você tem sido devorado pelos seus problemas.

Se você se levantar para clamar a Deus, ir à igreja e, decididamente, dizer: “Eu não vou ser devorado! Eu não vou servir de alimento para esta situação!”, você sairá desta situação ileso como Daniel, ainda que os grandes da terra tenham colocado uma pedra em cima desta cova!

O teu testemunho ainda há de mostrar para eles que você tem um Deus!

Levante-se e busque ao Senhor, ore, clame: “Deus de Daniel, me tire desta cova. Envie o Seu anjo para me salvar!”.

Não murmure, não reclame, clame! Clame por salvação

Em nome de Jesus, o anjo do Senhor vai ouvir sua oração!

Aquilo que foi preparado para te matar será um instrumento que o Senhor vai usar para te honrar e para te prosperar.

Você não vai viver mais com um traumatizado, mas como aquele que é honrado pela sua fé, como aquele que tem experiências, no dia da angustia, com o Deus fiel!

Pense nisso!

segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

O que você quer levar na bagagem da sua vida?



1 Samuel 17.49 a 51: “Davi meteu a mão no alforje, e tomou dali uma pedra, e com a funda lha atirou, e feriu o filisteu na testa; a pedra encravou-se-lhe na testa, e ele caiu com o rosto em terra. 

Assim, prevaleceu Davi contra o filisteu, com uma funda e com uma pedra, e o feriu, e o matou; porém não havia espada na mão de Davi.

Pelo que correu Davi, e, lançando-se sobre o filisteu, tomou-lhe a espada, e desembainhou-a, e o matou, cortando-lhe com ela a cabeça. Vendo os filisteus que era morto o seu herói, fugiram.”

Davi levava na mochila cinco pedras que ele havia tirado de um rio. Elas eram lisas, porque foram “lapidadas” pelas águas.

Nós não acreditamos em numerologia, mas, na Bíblia, os números sempre sinalizam algo. É como se fossem as placas de trânsito. Neste contexto, o número simboliza dons e habilidades daqueles que foram enviados por Deus para realizarem Sua obra aqui na terra. Por exemplo, a Bíblia cita cinco ministérios apostólicos.

Efésios 4.11: “E ele deu uns como apóstolos, e outros como profetas, e outros como evangelistas, e outros como pastores e mestres…”

Golias amedrontava o povo de Israel com suas ameaças. Ninguém tinha coragem para enfrentá-lo, exceto Davi.

Davi sabia que ele carregava dentro de si capacitações divinas. Mas, para os outros soldados, ele era um lunático. Eu imagino que foi, inclusive, motivo de gozação: “Davi, se enxerga! Você nem guerreiro é. Você acha mesmo que vai vencer o gigante com apenas cinco pedrinhas? Com apenas um supro, ele te derruba!”.

Davi era apenas um jovem pastor de ovelhas. A única arma que ele tinha era um estilingue. Mas, contrariando todas as expectativas e a afronta de Golias, manteve-se inabalável e convicto de sua vitória.

Ele enfrentou Golias cheio de fé e coragem: “As armas que eu trago comigo são poderosas em Deus. É o Senhor quem me capacita e me protege!”.

É por isso que, quando vem o gigante da afronta, o gigante da crise, o gigante da vergonha, eu não me abalo, porque eu carrego em minha bagagem armas poderosas.

E você? O que tem levado na sua bagagem? O desânimo? A tristeza? A incredulidade?

O que você tem levado na sua bagagem antes de sair para o trabalho? A preguiça? O relaxo? A indisposição?

O que você tem levado na bagagem quando se reúne com sua família? A indiferença? A inveja? O ódio? As mágoas? Uma memória de dor?

O que você leva na sua bagagem quando se depara com um desafio? A insegurança? O medo?

Deus não permite guerras que não possamos enfrentar! Só apareceram gigantes na Bíblia, quando o povo de Deus podia derrubá-los.

Se você se deparou com o gigante dos problemas financeiros, com o gigante da enfermidade, com o gigante dos conflitos emocionais..., não se abale, porque o Senhor te dará recursos – aqueles que, muitas vezes, o mundo despreza –, que serão o suficiente para você ter uma vitória histórica!

Então, querido internauta, tire da sua bagagem tudo o que tem tornado a sua vida pesada... Em vez disso, leve o discernimento, a sabedoria, a oração, o jejum, louvores, ministrações... Assim, tudo aquilo que te afronta e te envergonha vai cair diante de você!

Davi tinha cinco pedras, mas venceu aquele gigante com apenas uma!

Pense nisso!

quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

O foco é a solução, não o problema!


Lamentação 3: 21 “Quero trazer à memória o que me pode dar esperança.”

Sabe, eu tenho uma experiência muito forte com este versículo. Era uma situação em que eu estava enfrentando de muita angustia, amargura e depressão. Aparentemente, não tinha justificativa para eu estar assim. Minha família estava muito bem, meus filhos cheios de saúde, eu vivia, alias vivo até hoje, com o homem que eu amo!

Busquei, de diversas formas, entender a origem daquela dor. Até que decidi buscar respostas no Senhor. Orei, clamei e tive uma experiência muito forte com a Palavra de Deus, que transformou a minha forma de pensar e, por consequência, meus sentimentos.

Hoje, eu quero te perguntar: Será que este pensamento que você está nutrindo pode te ajudar?

Sabe, foi esta a chave que eu encontrei em Deus. De só pensar naquilo que pode me ajudar e me fortalecer.

Aqueles pensamentos que não te ajudam, deleta! Pense em solução, não nos problemas!

Quando você viver alguma situação difícil, lembre-se do quanto Deus já te abençoou, das orações atendidas, dos livramentos, de todas as vezes que você achou que não daria certo, mas deu!

Sabe qual é a origem da amargura? As lembranças ruins que, sem perceber, nós nos condicionamos a reviver. Acabamos nos sentindo do mesmo jeito! É daí que vem o ressentimento.

Vou citar um exemplo! Quando alguém te trai, você “perdoa”, aceita aquela pessoa de volta, os anos passam, mas, dentro de você, nada mudou! Fale a verdade... Parece que você está sendo traído todos os dias. Aquela dor, aquela impotência te consomem, e você não consegue se conter... Daí vêm as brigas, as indiretas... A desconfiança é maior que o perdão. Você nem dá oportunidade da pessoa mostrar que está arrependida. 

Se ela se atrasa cinco minutos para o encontro, meu Deus! Seu mundo acabou. Se elas esquecer de te ligar, então...

Sabe, querido internauta, isso é uma prisão emocional! O inimigo se aproveita disso e começa colocar situações que te deixam mais atormentado ainda. Em nome de Jesus, isso está quebrado na sua vida! Você é livre para ser feliz, para amar e ser amado!

Quero deixar outro conselho para você! Procure uma igreja. Em Mateus 16.18, está escrito que, contra a igreja, as portas do inferno.

A igreja é um ambiente de fé, em que todos buscam o mesmo propósito. Não importa se é gordo, magro, alto, baixo, criança, adulto, rico, pobre... todos têm o mesmo objetivo: alcançar, pela fé, e se encher da graça de Deus.

Saia dos ambientes de acusação! Busque ambientes favoráveis ao milagre.

Quero voltar à questão do ressentimento. Sabe o livro de Lamentações? Foi escrito pelo profeta Jeremias, em um momento de muita dor e, ao mesmo tempo, com a preocupação de cuidar do restante do povo, que sobreviveu à destruição de Judá, por Nabucodonosor, rei da Babilônia.

Jeremias estava arrasado, mas o Senhor lhe disse: Traga à lembrança aquilo que te dá esperança.

Hoje, você vai tomar uma posição! Vai dar um basta nestes sentimentos e pensamentos destrutivos.

Curtir e cultivar essa amargura só vai trazer enfermidade para sua vida. Você sabia que a mágoa pode provocar câncer? Isso é cientificamente comprovado!

Você não será mais uma pessoa doente, pelo contrário, vai reavivar sua fé, sabendo que Deus vai te justificar!

Em vez de lamentações, você terá, em seus lábios, cânticos de alegria!


Pense nisso!

quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Como superar isso?



2 Samuel 12.15 a 25: “Então, Natã foi para sua casa. E o SENHOR feriu a criança que a mulher de Urias dera à luz a Davi; e a criança adoeceu gravemente. Buscou Davi a Deus pela criança; jejuou Davi e, vindo, passou a noite prostrado em terra. Então, os anciãos da sua casa se achegaram a ele, para o levantar da terra; porém ele não quis e não comeu com eles.

Ao sétimo dia, morreu a criança; e temiam os servos de Davi informá-lo de que a criança era morta, porque diziam: Eis que, estando a criança ainda viva, lhe falávamos, porém não dava ouvidos à nossa voz; como, pois, lhe diremos que a criança é morta? Porque mais se afligirá.

Viu, porém, Davi que seus servos cochichavam uns com os outros e entendeu que a criança era morta, pelo que disse aos seus servos: É morta a criança? Eles responderam: Morreu. Então, Davi se levantou da terra; lavou-se, ungiu-se, mudou de vestes, entrou na Casa do SENHOR e adorou; depois, veio para sua casa e pediu pão; puseram-no diante dele, e ele comeu.

Disseram-lhe seus servos: Que é isto que fizeste? Pela criança viva jejuaste e choraste; porém, depois que ela morreu, te levantaste e comeste pão. Respondeu ele: Vivendo ainda a criança, jejuei e chorei, porque dizia: Quem sabe se o SENHOR se compadecerá de mim, e continuará viva a criança? Porém, agora que é morta, por que jejuaria eu? Poderei eu fazê-la voltar? Eu irei a ela, porém ela não voltará para mim.

Então, Davi veio a Bate-Seba, consolou-a e se deitou com ela; teve ela um filho a quem Davi deu o nome de Salomão; e o SENHOR o amou. Davi o entregou nas mãos do profeta Natã, e este lhe chamou Jedidias, por amor do SENHOR.”

A morte e a perda são situações dificílimas de serem superadas, ainda mais quando você é o culpado! Palavras e atitudes que acabaram com seu casamento, que fecharam uma boa porta de emprego, que te fizeram perder seu melhor amigo...

Às vezes, a sua situação envolve a perda de um familiar. Você entregou seu pai, sua, mãe ou seu filho para Deus, antes do tempo... É uma dor indescritível.

Eu imagino a dor que Davi sentiu ao ter que enterrar o próprio filho, sabendo que ele poderia ser o principal responsável por aquela enfermidade.

Muitas mortes que a gente enfrenta vêm carregadas de acusação. São pensamentos que nos desestruturam por completo, como: Você devia ter passado mais tempo com seu pai... Você deveria ter valorizado mais as virtudes da sua mãe... Agora é tarde demais para perdoar... Você deixou seu amigo morrer, sem ter falado de Jesus para ele...

A morte vem para nos matar também, ainda que seja aos poucos. Vem para marcar as pessoas com culpa e com uma dor tão profunda, que parece que nunca vai cicatrizar. Como se a gente fosse responsável pela vida ou por todas as escolhas de quem amamos.

Quando não conseguimos superar a perda ou a morte, nossos dias ficam vazios, parece que nós não sabemos mais viver. Eu imagino como deve ser para uma pessoa, que foi casada durante 30, 40, 50 anos, perder seu marido, ou esposa. Parece que a vida perdeu o sentido.

Olha, hoje, eu quero dizer que, por mais que pareça que não tenha mais jeito, há um caminho de superação.

Davi encontrou este caminho, quando entendeu que tudo acontece pela vontade de Deus. Não cai um fio de cabelo da nossa cabeça sem que o Senhor esteja no controle.

Se o inimigo vier te acusar, todos nós pecamos e dependemos da graça de Deus. O Senhor poderia ter ressuscitado? Poderia, mas o plano não era esse. Por quê? Para que ficasse um memorial. Davi não sabia que a história dele estaria na Bíblia, no Livro de Deus, e que alimentaria e serviria de exemplo para muitas pessoas, como eu, por exemplo. Um legado que ultrapassou gerações e se manteve inabalável.

Às vezes, você acha que a sua história não passa de uma história. Isso não é verdade. Talvez, a sua história sirva para que novas histórias sejam escritas. Então, em primeiro lugar, você vai se levantar e vai clamar: “Senhor, me consola, me conforta... Se eu não fiz o que deveria, me perdoa! Se as minhas atitudes contribuíram para este mal, lava-me, com Teu sangue, me purifica! Senhor, eu quero viver um novo tempo!”.

Em segundo lugar, vá para a igreja, louve e busque a Deus. A presença d´Ele nos cura, nos restaura, nos redime, nos edifica, nos consola e nos dá estratégia, para vivermos o bem do Senhor, na terra dos viventes!

Aonde há o Espírito de Deus, há liberdade. Eu tenho muitos louvores que falam sobre isso! A partir de hoje, você vai ficar livre deste peso, desta mágoa, desta acusação e desta dor! O Espírito Santo, nosso consolador, vai selar, vai cauterizar esta ferida, o sangue vai parar de jorrar e a cicatriz vai desperecer. Só vai permanecer as marcas do amor de Deus sobre sua vida.

Em terceiro lugar, comece um novo tempo!

No enterro do filho, Davi chorou? Chorou! Mas ele renovou suas forças, levantou-se, consolou a esposa, louvou ao Senhor e se abriu para viver um novo tempo! Aquele novo tempo gerou Salomão, o rei mais sábio de Israel.

Desse novo tempo que você vai começar, a partir de hoje, você vai gerar sabedoria, força, superação, consolo e alegria.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Esta luta tem dia e hora para acaber



Salmo 30.5: “Para a sua ira durar só um momento; no seu favor está a vida. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã."

O salmista garante que o nosso choro não é permanente. Deus promete enxugar nossas lágrimas. Toda dor que estiver assolando a nossa vida, Ele transformará em alegria.

A Palavra de Deus é um verdadeiro refrigério para nossa alma. Em Romanos 8.18, está escrito que as aflições deste tempo não podem ser comparadas, de modo nenhum, com a glória que nos será revelada.

Não desista! Você vai conseguir passar pelas aflições que estão tentando te amedrontar e te fazer sofrer. Mantenha os olhos focados em Jesus Cristo. Ele é nosso escudo, nossa fortaleza e o nosso socorro bem presente nos momentos de angustia e aflição.

Quando a Palavra de Deus deixa de ser um texto que lemos, para ser a verdade que praticamos, vivemos, em toda e qualquer situação, o Seu sobrenatural.

Ainda que esta noite de choro dure uma semana, um mês, um ano, a nossa certeza é que cada dia é um dia a menos. Cada hora é uma hora a menos.... Estamos cada vez mais próximos do amanhecer de Deus em nossas vidas. E toda a alegria, que este amanhecer vai trazer, faz com que renovemos nossas forças e enxuguemos nossas lágrimas. Até porque, em tempo de guerra, não se chora, se luta! Sabemos que a alegria vem, a vitória vem!

Tenha certeza, em seu coração, de que luta tem dia para começar e para acabar. O que nunca acaba é a bênção de Deus em nossas vidas!

Hoje, quero te pedir uma coisa: mais do que ficar só pensando desta forma, viva desta maneira! Renove suas forças! Espere em Deus, porque Ele tem planos superiores para a sua vida!

Creia e ande por esta fé!

Isaías 40.1 e 10 “Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus. Eis que o Senhor virá com poder, e o seu braço dominará, eis que o nosso garladão está com Ele, e diante dele, a sua recompensa.”

Pense nisso!