Páginas

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Será do jeito e no tempo d'Ele!


João 11.34 a 42: “E perguntou: Onde o sepultastes? Eles lhe responderam: Senhor, vem e vê! Jesus chorou. Então, disseram os judeus: Vede quanto o amava.

Mas alguns objetaram: Não podia ele, que abriu os olhos ao cego, fazer que este não morresse? Jesus, agitando-se novamente em si mesmo, encaminhou-se para o túmulo; era este uma gruta a cuja entrada tinham posto uma pedra.

Então, ordenou Jesus: Tirai a pedra. Disse-lhe Marta, irmã do morto: Senhor, já cheira mal, porque já é de quatro dias. Respondeu-lhe Jesus: Não te disse eu que, se creres, verás a glória de Deus? Tiraram, então, a pedra.

E Jesus, levantando os olhos para o céu, disse: Pai, graças te dou porque me ouviste.  Aliás, eu sabia que sempre me ouves, mas assim falei por causa da multidão presente, para que creiam que tu me enviaste. E, tendo dito isto, clamou em alta voz: Lázaro, vem para fora!

Saiu aquele que estivera morto, tendo os pés e as mãos ligados com ataduras e o rosto envolto num lenço. Então, lhes ordenou Jesus: Desatai-o e deixai-o ir.”

Para que o milagre aconteça em sua vida, você precisa entender que, mesmo que não seja na sua hora, mesmo que não seja do seu jeito, mesmo que você tenha sofrido, mesmo que você tenha sentido dores, o Senhor cumprirá os Seus propósitos.

Depois que Lázaro morreu, Jesus levou quatro dias para chegar ao local. Fazia quatro dias que aquela casa estava de luto e em prantos.

As duas irmãs daquele homem, Marta e Maria, tinham o mesmo questionamento: “Se o Senhor tivesse chegado antes, Lázaro não teria morrido. Se o Senhor tivesse chegado antes, nós não estaríamos aqui com esta tristeza profunda!”. 

Eu fico imaginando que elas também pensaram que Jesus poderia ter pelo menos chegado no momento da morte de Lázaro para, pelo menos, consolar toda a família.

Naquele momento, o que restava para elas? Colocar uma pedra naquele túmulo. Mas Jesus veio com uma palavra surpreendente: “Remova a pedra!”. É exatamente isso o que Ele te fala hoje: “Tire a pedra daquilo que tem te amargurado!”, “Tire a pedra desta mágoa!”, “Tire a pedra deste sofrimento!”, “Tire esta pedra da falta de perdão!”.

Talvez, você esteja pensando: “Não é uma boa ideia! Eu vou ter que expor tudo o que está podre dentro de mim!”.

Marta e Maria não queriam que aquela pedra fosse removida, mas Jesus insistiu: “Tire-a!”.

O sobrenome que o inferno quer te dar

Marta era conhecida como a irmã do defunto. Como você é conhecido? Qual é a referência que as pessoas têm ao seu respeito. Talvez seja: a fulana que perdeu o filho, a sicrana que foi abandonada pelo marido, a beltrana que vive doente...  Marta escolheu assumir o sobrenome “irmã do defunto”.

Sabe, querido, enquanto você tiver liga com a morte, de tal forma que ela passe a fazer parte do seu nome,você, automaticamente, ignora a voz de Deus. Você deixa de cadastrar e registrar vontade d'Ele.

Jesus havia falado: “Se você crer, você verá a glória de Deus.”. Mas ela questionava: “Vou crer como? Meu irmão está morto! Já era. O que está feito está feito!”.

Eu imagino que ela deveria ter pensado: “Esta palavra não é para mim. Deve ser para alguém que tem algum tipo de esperança! Eu não tenho nenhuma!”.

Ela tinha que tirar a pedra do coração e entender que Jesus estava por perto, e que estava tudo o sob o controle d'Ele. 

Tire a pedra!

Sabe, a minha oração é para que os olhos do seu entendimento sejam abertos e que você sinta a presença do Senhor.  Mesmo que você não veja, existem anjos ao seu redor.

Se você remover essa pedra, se você se abrir para ser limpo de toda essa podridão que está te matando por dentro, você verá a glória de Deus.

Maria e Marta não presenciaram o milagre da cura, mas um milagre de ressurreição. E elas ressuscitaram também.

A minha oração é para que você viva  esta ressurreição e a palavra de Isaías 61.3. Que você tenha uma coroa, em vez de cinzas; óleo de alegria, em vez de pranto e veste de louvor, em vez de um espírito angustiado. Que você seja plantado para a glória do Senhor.

1 Coríntios 6.14: “Por seu poder, Deus ressuscitou o Senhor e também nos ressuscitará.”

Eu quero finalizar este post com o louvor "Plano Melhor", do Renascer Praise 5. Essa canção sempre me ministra e tem tudo a ver com a mensagem que eu quero passar para vocês hoje: 


Pense nisso! 

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Uma mãe que aprendeu a confiar em Deus!


Olá, queridos internautas que sempre acompanham as nossas ministrações. Hoje, eu quero compartilhar um dos estudos da segunda edição da Bíblia da Mulher +QV, a nossa melhor amiga.

Vamos falar sobre filhos, nosso legado aqui na Terra! Vamos começar nosso estudo, meditando em Êxodo 2.1 a 10, que diz: “Foi-se um homem da casa de Levi e casou com uma descendente de Levi. E a mulher concebeu e deu à luz um filho; e, vendo que era formoso, escondeu-o por três meses.

Não podendo, porém, escondê-lo por mais tempo, tomou um cesto de junco, calafetou-o com betume e piche e, pondo nele o menino, largou-o no carriçal à beira do rio. A irmã do menino ficou de longe, para observar o que lhe haveria de suceder. Desceu a filha de Faraó para se banhar no rio, e as suas donzelas passeavam pela beira do rio; vendo ela o cesto no carriçal, enviou a sua criada e o tomou.

Abrindo-o, viu a criança; e eis que o menino chorava. Teve compaixão dele e disse: Este é menino dos hebreus. Então, disse sua irmã à filha de Faraó: Queres que eu vá chamar uma das hebréias que sirva de ama e te crie a criança? Respondeu-lhe a filha de Faraó: Vai. Saiu, pois, a moça e chamou a mãe do menino.

Então, lhe disse a filha de Faraó: Leva este menino e cria-mo; pagar-te-ei o teu salário. A mulher tomou o menino e o criou. Sendo o menino já grande, ela o trouxe à filha de Faraó, da qual passou ele a ser filho. Esta lhe chamou Moisés e disse: Porque das águas o tirei.”

Ter filhos é indiscutivelmente uma grande bênção, mas educá-los e, principalmente, ensiná-los no caminho em que devem andar é um grande desafio! Uma das mulheres da Bíblia que eu tenho como referencial nesta área é Joquebede, a mãe não só de Moisés, mas também de Miriã e Arão.

Joquebede viveu no Egito em um período muito crítico para o povo hebreu. Um período de escravidão e morte! Todos os filhos dos hebreus – do sexo masculino –, logo após o nascimento, eram afogados no Rio Nilo.

Aquela escravidão do povo judeu no Egito já durava mais de 400 anos e, mesmo assim, a fé de Joquebede não foi abalada. Quando o decreto, no mínimo sanguinário, do Faraó entrou em vigor, ela estava grávida de um menino. Ao contrário de todas as mães, ela não o entregou à morte, antes o consagrou a Deus, como uma oferta, crendo no livramento do Todo-Poderoso, que honrou sua fé e lhe deu sabedoria e estratégia para preservar seu filho.

A fé e confiança de Joquebede não consistiam em palavras e nem em broncas. Ela não era do tipo de mãe que obrigava os filhos a irem à igreja, mas sua fé mostrava o caminho e levou seus filhos a terem experiências com Deus, como foi o caso de Miriã, a quem ela enviou para acompanhar o trajeto, no Rio Nilo, do cestinho onde estava o bebê Moisés. Foi assim que Miriã percebeu que a filha do Faraó veria o menino e se compadeceria dele.

Eu até consigo imaginar o que Joquebede havia dito à Miriã: “Vá, querida! Não tenha medo. Ninguém vai te pegar no meio do caminho! O mesmo Deus que me deu este filho e, que nos tem ajudado a mantê-lo vivo, é contigo! Este Deus te dará bom êxito  para alcançar graça, diante da filha de Faraó!”.

E foi assim: Joquebede profetizou e aconteceu! Não só Moisés alcançou graça diante da filha de Faraó, mas também Miriã, que voltou com seu irmão para casa, mas, desta vez, escoltada. Por causa da oferta de Joquebede, toda a família foi preservada e abençoada! A obediência de Miriã também foi essencial.

O mais lindo desta história é que ela sugeriu para a filha de Faraó – que adotara Moisés – que sua própria mãe fosse a babá do menino. No final das contas, Joquebede acompanhou o crescimento de todos os seus filhos, com a proteção egípcia!

Sabe, querido leitor, nossa entrega a Deus transforma maldição em bênção!

Precisamos aprender que nossos filhos seguem mais o nosso exemplo do que nossas palavras! Nossas atitudes ensinam de tal forma que, mesmo quando eles forem adultos, não se esquecerão jamais!

Tiago 2.18: “Mas alguém dirá: Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me essa tua fé sem as obras, e eu, com as obras, te mostrarei a minha fé.”

Provérbios 22.6: “Ensina a criança no Caminho em que deve andar, e mesmo quando for idoso não se desviará dele.”

O que sua postura e atitude têm ensinado aos seus filhos? As suas atitudes os têm afastado ou os têm aproximado do Senhor?

Pense nisso!

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

De repente, tudo mudou!


Filipenses 3.12 a 14: “Não que eu o tenha já recebido ou tenha já obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus. 

Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.”

No programa “De Bem com a Vida”, somos edificados com muitos testemunhos. Um deles foi a fonte de inspiração para o Pensamento de hoje. É de uma moça que viu, do dia para noite, sua vida virar de cabeça pra baixo.

Ela tinha um relacionamento de quatro anos e achava que conhecia o noivo como ninguém. Ela convivia com os pais desse rapaz, conheceu os filhos, os irmãos... Se prepararam para o casamento, viram apartamento, planejaram a festa, fizeram o enxoval... Era uma relação aparentemente normal.

Dois meses antes da cerimônia de casamento, veio a bomba. O noivo decidiu fazer uma revelação: “Olha, eu preciso te falar algo! Me desculpe não ter falado antes, eu não tive coragem, porque nosso relacionamento é tão bom, somos tão felizes... Eu te amo demais, mas preciso ser honesto com você. Sou casado há 18 anos com outra pessoa!”.

Meu Deus! O sonho de amor simplesmente desmoronou. E, no meio daquela loucura, ela conseguiu tomar uma atitude sábia: desistir daquele relacionamento. Ela fez certo em não querer ser responsável pela destruição de uma família.

A mãe dessa jovem tinha o costume de convidá-la para assistir cultos. Desolada, ela, então, decidiu conhecer a igreja. Ali, encontrou meios para administrar toda aquela mudança. E, no meio desse processo, aquele passado persistiu em bater na sua porta: “Olha, eu te amo! Fica comigo! Eu não vivo sem você!”...       

Ela saiu de um relacionamento, mas a nova realidade era ficar sozinha e sem perspectivas. Ela tinha alguém que a acolhia, que a protegia, que lhe dava carinho... para depois não ter nada!

Sabe, mudanças como essas nos fazem ficar lembrando de um passado, desejando voltar para um lugar que simplesmente não existe mais... Para aquela jovem, não existia mais o noivo, mas o enganador, o mentiroso, o traidor....

Seguir em frente com esse relacionamento seria o mesmo que assinar uma sentença de enganação perpétua, afinal, ele mentiu para todos e por tanto tempo. Quem garante que ele não mentiria mais?

Aquele relacionamento nunca existiu, alias, só existiu para ela! Imagine a situação. Como não deve ter sido difícil para ela colocar uma pedra naquela situação e seguir um novo rumo.

Sabe você pode, diante de algumas coisas, dizer: “Eu não consigo! Eu quero meu casamento de volta!”, mas não pode se entregar!

Sabe, Paulo nos deixou dois conselhos preciosos. E eu quero terminar este post dividindo esses conselhos com vocês:

1- Feche a porta para o passado

Foi bom? Foi incrível? Então: “Senhor, muito obrigada, porque eu tive um passado feliz! Ajude-me a construir um bom futuro. Eu escolho seguir em frente com serenidade e dignidade!”.


2-Prossiga para o alvo: coloque objetivos.

Aquela moça não enterrou seus sonhos e seu futuro naquele relacionamento que não deu certo.

Pelo contrário, viajou, trabalhou, curtiu a família, saiu com as amigas, se envolveu no ministério, começou a praticar esportes... Colocou sua vida em movimento! Ela escolheu dar valor aos que ficaram...

A história dela não acabou na decepção, mas na restituição! Deus enviou, literalmente, a pessoa certa para ela! Hoje, ela tem um relacionamento verdadeiro!

Em nome de Jesus, administre a mudança, mudando também, se deixando transformar e se abrindo para o novo tempo que o Senhor tem.