Páginas

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Lembre-se do passado com gratidão, e você se alegrará no presente!


1 Samuel 17.37: “Disse mais Davi: O Senhor me livrou das garras do leão e das do urso; ele me livrará das mãos deste filisteu. Então, disse Saul a Davi: Vai-te, e o Senhor seja contigo.”

Davi é uma das pessoas que eu mais admiro na Bíblia. Sem sombra de dúvida, ele era um homem segundo o coração de Deus.

Esta passagem que acabamos de ler mostra qual era o espírito que habitava nele. Davi não tinha uma memória de dor e sofrimento. Ele enfrentou dificuldades, guerras, perseguições, conflitos familiares, mas não se tornou uma pessoa amarga e pesada.

Quem luta com o leão sai, no mínimo, arranhado! Quem enfrenta um urso deve sair, no mínimo, com um hematoma ou com um membro quebrado!

Eu não sei se ele chegou a se machucar, mas uma coisa é certa: ele não saiu destas situações com a alma ferida, pelo contrário, Davi tinha um coração grato por todos os livramentos que viveu.

Em vez de se desesperar, diante das adversidades, ele pensava: "O mesmo Deus que permitiu que eu vencesse um urso e um leão, me dará vitória contra o gigante Golias!".

Hoje, eu quero deixar um conselho: Quando você tem uma memória de gratidão, você fica renovado! Talvez, você tenha passado por uma situação muito crítica, ou uma luta que durou mais de 15 anos, mas Deus te deu graça, te fortaleceu e te supriu em tudo!

Isso é o suficiente para você enfrentar o que vier pela frente, sabendo que o Senhor é contigo e te conduzirá em triunfo.

Esse é um dos benefícios da gratidão! Se você, de repente, pensar em todas as situações difíceis que viveu e começar a “metralhar” os outros com suas reclamações e murmurações, você nunca será uma pessoa vitoriosa, você nunca vai evoluir e amadurecer como ser humano!

Qual é a diferença entre aquele que nem chegou a dar o primeiro passo e aquele que parou no meio do caminho? Nenhuma! Mas você vai até o fim, em nome de Jesus!

Davi enfrentou o leão, depois o urso e, depois, o gigante. Sabe o que aconteceu na sequência? Ele foi coroado rei!

Quando renovamos nossas forças, através da gratidão, somos curados de todas as sequelas das guerras que enfrentamos.


Pense nisso!

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Ser mãe já é o melhor presente!


Hoje, eu quero deixar uma mensagem sobre o “Dia das Mães”. Eu quero começar falando sobre o que é ser mãe!

Ser mãe é uma das maiores bênçãos que Deus pode dar para alguém na terra, porque nem todo mundo que quer ser mãe consegue ser, assim como nem todo mundo que é mãe, de fato, consegue ser mãe!

Como vem de Deus esta benção, a gente só consegue vivê-la, na plenitude, quando estamos conectadas a Ele. 

Quando não estamos nesta condição, acabamos fazendo do paraíso um inferno, assim como Eva!

Muitas vezes,  ser mãe acaba sendo um peso, uma carga, um choro sem fim, uma angústia, uma dor, e isso independe do seu filho ser o motivo do seu orgulho ou da sua tristeza. Isso independe do fato do seu filho ser aquela pessoa que te surpreende de forma negativa ou positiva! Existem filhos que precisam de mais ajuda e de mais dedicação do que os outros, isso não quer dizer que o amor é maior! Isso quer dizer que você tem sensibilidade!

Ser mãe é uma dádiva de Deus, independente da situação! Eu tenho bastante propriedade para te falar isso, porque eu tenho filhos na carne, um filho adotivo na carne e filhos espirituais!

Posso dizer que eu tenho uma grande variedade de pessoas que o Senhor me deu como filhos! Todos os dias, Ele acrescenta! Mas, sabe de uma coisa? Sempre cabe mais um no coração de uma mãe! É um amor infinito e imensurável. 

Hoje, eu quero deixar um conselho! Não seja uma mãe frustrada, uma mãe cheia de dores,  uma mãe cheia de mágoas... Seja alguém equilibrada! Não extrapole! Os excessos são destrutivos. Seca mata, mas enchente mata também!

Não seja aquela mãe que sufoca o filho, de tão maravilhoso que ele é! Existem mães que acabam se tornando inconvenientes! Elas são mais artistas que o filho!

Não seja superprotetora, não seja aquela mãe que impede o filhos de terem suas próprias vidas! Os nossos filhos não são nossos clones emocionais! Eles vão ter muitas características nossas, mas vão desenvolver suas próprias personalidades!

Eu desejo que vocês sejam as mães mais felizes da face da terra! Que vocês não carreguem culpas ou acusações!

Busque estar todos os dias mais conectada a Deus! Ele vai te dar sabedoria para você lidar com cada fase da vida do seu filho.

Para cada fase da vida, existe uma maneira, um comportamento, uma postura e uma decisão a ser tomada. Nós temos que nos reciclar!

No encarte da nova edição da Bíblia da Mulher +QV, eu deixei registrado 52 estudos, que foram divididos em quatro capítulos, ou seja, divididos nas quatro estações do ano!

Nós, como mães, temos muitas outras estações! Sempre tem uma novidade. Afinal, nós descobrimos o mundo com eles. Nossos filhos nos tiram da rotina, e isso é maravilhoso, eles trazem um novo sentido para nossas vidas.

Cada uma destas estações requer um preparo para não ficarmos reféns do saudosismo - cada fase traz as suas alegrias e as suas dificuldades -, para não ficarmos à mercê de comparações - eles são únicos - , para buscarmos sabedoria em Deus, para encontrarmos a renovação do nosso entendimento e para termos consciência de que, em cada etapa, nós ocuparemos um espaço diferente na vida deles...

Existem momentos em que nós seremos meros planos de fundo, como um cenário em que eles vão escrever suas próprias vidas! Isso não quer dizer que você será menos realizada, mas significa que você terá outras alegrias! Vai fazer parte desta linda história, ainda que seja só observando!

Que, em nome de Jesus, nós todas possamos fazer parte deste clube, desta tribo das eleitas de Deus, das mães mais felizes da terra, mesmo que a gente tenha que ser aquela mãe que abriu mão do próprio filho, que o viu subindo na cruz, sofrendo, cumprindo uma missão e sendo levado pelo Senhor! 

Que, mesmo em meio às dificuldades, a gente nunca abandone o nosso posto! 

Lembre-se de que ser mãe é uma linda missão e um presente vindo dos céus! 

O meu desejo é que esse dia traga alegrias, realizações, reconciliações e muito amor, mais muito amor!

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Ana, uma mãe que experimentou o poder de um voto!


1 Samuel 1.11: “E fez um voto, dizendo: SENHOR dos Exércitos, se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva te não esqueceres, e lhe deres um filho varão, ao SENHOR o darei por todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha.”

Ana tinha tudo para viver um sonho de amor... Mas se deixou levar pela frustração de não poder ter filhos. Seu marido, Elcana, acabou se casando com outra mulher – o que era permitido por lei, quando a primeira esposa não podia engravidar.

Esta segunda esposa, Penina, teve vários filhos e, por conta disso, acabava humilhando e provocando Ana, que, mesmo sendo amada incondicionalmente pelo marido, mergulhou em um mar de depressão.

Certo dia, Ana foi ao tabernáculo e orou a Deus de uma maneira diferente, não mais pedindo um filho para si, mas para entregá-lo ao Senhor.

Depois daquele voto, Deus lhe concedeu seu sonho, e ela se tornou mãe, não só de um, mas de outros filhos. Sendo que o primeiro de seus sete filhos, o qual ela realmente entregou para que servisse no templo, em cumprimento ao voto que fizera. Samuel foi um grande profeta e sacerdote. Foi ele quem ungiu Davi rei de Israel. 

O que fez tudo mudar?

Ana se sentia frustrada, infeliz e sem perspectivas de futuro. Suas expectativas em relação à maternidade não se cumpriram no tempo que ela esperava, nem do jeito que ela queria. Ela passou a ter pensamentos terríveis sobre si e sobre o Senhor.

Ela precisava vencer tudo isso, inclusive as provocações pelo fato de ser estéril. Tinha que vencer a si mesma e derrotar a esterilidade de uma maneira definitiva. Tinha que vencer a depressão e a amargura. Ela precisava parar de servir aos seus problemas e passar a servir a Deus.

Ana deu a volta por cima quando:

1- Experimentou o poder da oração

Ela chegou à presença de Deus humilhada, deprimida e desiludida. Ela se sentia tão sozinha e sem valor, que mais do que um filho, naquele momento, ela precisava sentir que tinha um Deus. Um Deus que a acolhesse, a amasse, a ouvisse, que enxugasse suas lágrimas, que a fizesse sentir que sua vida, apesar das sentenças contrárias, tinha um propósito.

Ela precisava crer que, acima de todos os seus fracassos, existia um Deus que não se enganou ao criá-la. Talvez, naquele momento, ela já nem acreditasse mais que o Senhor a ouviria, depois de tanto tempo sem resposta, mas seria sua última tentativa.

Ao se derramar em oração na presença de Deus, com sinceridade, o Senhor tirou o peso de seus ombros e lhe encheu de esperança. Ela não saiu gravida de um filho, mas gravida da promessa. Uma promessa que nunca poderia falhar.

2- Aprendeu a desejar para Deus e experimentou o poder de um voto

Durante a oração, Ana percebeu que, até então, desejava ter um filho para não ser mais chamada de estéril, para que seu marido não se casasse com outra, para não ser humilhada, para se sentir completa, para esfregar na cara de todos que falaram mal dela, para ser valorizada... Entretanto, nenhuma dessas razões abriu os céus e o foi chave para o milagre.

Conduzida pelo Espírito Santo – ciente da necessidade que a Casa do Senhor tinha de ter um sacerdote que sucedesse Eli – ela desejou um filho para entregar a Deus, para esta obra.

Quando fez este voto na presença do Senhor, sua sorte mudou. Por meio do seu voto, Ana entrou em aliança com Deus, ou seja, tudo que era d´Ele passou a ser dela também, gerando vida, bênção e graça.

Onde Deus está, não há aridez ou esterilidade, mas há vida abundante. 

3- Cumpriu o voto e, por esse motivo, recebeu além do que pediu, pensou ou imaginou

Mais tarde, ao cumprir seu voto e levar Samuel, ainda criança, para ser criado pelo sacerdote Eli, Ana adora ao Senhor em oração.

O voto que supre a Casa de Deus, em primeiro lugar, quebra as palavras contrárias sobre nossas vidas, traz uma fertilidade não conhecida; assim como nos faz viver maravilhas, ou seja, o que não poderia existir em nossas vidas de manifesta. 

1 Samuel 2.1 e 2: “Então, orou Ana e disse: O meu coração se regozija no SENHOR, a minha força está exaltada no SENHOR; a minha boca se ri dos meus inimigos, porquanto me alegro na tua salvação. Não há santo como o SENHOR; porque não há outro além de ti; e Rocha não há, nenhuma, como o nosso Deus.”

1 Samuel 2.21: “Abençoou, pois, o SENHOR a Ana, e ela concebeu e teve três filhos e duas filhas; e o jovem Samuel crescia diante do SENHOR.”

O voto traz à existência o que não existe e nos faz mais que vencedoras. 

Seja uma mulher-chave como Ana e libere bênçãos do céu com atitudes espirituais, como o voto!

Pense nisso!