Páginas

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Chega, né?

 

Salmo 19.14: “As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença, Senhor, rocha minha e redentor meu”.

Você está cansado de errar? Você está cansado de cometer as mesmas loucuras, do mesmo jeito? De sempre ficar nervoso pelo mesmo motivo? De sempre chorar pelo mesmo problema? Chegou a hora de mudar, né? Deus nos chamou para andarmos em novidade de vida!

Eu conheço pessoas que têm uma capacidade indescritível de se meter em confusão! O motivo? Falar dos outros e “cuidar” de problemas que não são seus.

O que eu mais me impressiona são os argumentos de pessoas assim: “Mas, Bispa, ele falou mesmo!”.

Sabe qual é a minha resposta: "Se falou ou não, você não precisa repassar! Se você não pode ajudar, não atrapalhe!".

Muitas vezes, as pessoas não te procuram para contar seus problemas, por mais que você seja inteligente e domine a Bíblia, porque elas sabem que você é um ‘boca mole’.

Você, mesmo sabendo disso, não se contem, vai lá e fala mesmo! Sabe o que acontece? Mesmo que as suas intenções sejam as melhores, você leva a fama de fofoqueiro, e não importa se foi o outro que falou. No final, sobra pra você!

Você abre a boca, cria polêmica, mas, depois, não aguentas as consequências do que você falou.

Pare e reflita nisso!

Outra característica que prejudica muito é a inconstância. Ela te deixa cheio de projetos inacabados. Ou seja, você não evolui em nada!

Por exemplo, existem pessoas que toda hora estão mudando de emprego, porque não aguentam isso, não aguentam aquilo.... E ainda reclamam na frente de todo mundo. O máximo que você vai conseguir, agindo desta forma, é manchar sua carteira de trabalho.

Sabe por que você passa pela mesma luta? Porque você sempre tropeça na sua língua e, ainda por cima, vem com aquele papo: “Não sei por que Deus permite!”.

Antes de Deus te ajudar, você precisa se ajudar! Você já imaginou se Ele prosperasse tudo o que você fala? Existem mães, que ao olharem para a prova do filho, em vez de conversar e procurar saber o que aconteceu, fazem um terrorismo com a criança: “Olha essa nota! Moleque burro! Sua única obrigação na vida é estudar. Você é um vagabundo!”.

Imagine se Deus levar isso em consideração? O que seria do seu filho? Em vez de julgar e amaldiçoar, incentive, ajude-o! Tenho certeza de que o resultado da próxima prova será melhor! Procure saber o que está tirando a concentração dele e tome uma atitude.

Imagine, então, se Deus prosperasse aqueles seus lamentos em dias de depressão: “Por que Deus não me mata de uma vez?”, “Ninguém me ama!”, “Sou a pessoa mais infeliz da terra”....?

Chegou a hora de mudar de discurso e de atitude

Comece fazendo com que as palavras que saem dos seus lábios sejam agradáveis a Deus! Se o seu filho não está indo bem na escola, ore por ele: “Senhor, meu filho tem dificuldades em aprender, mas eu creio que o dom da sabedoria vem de Ti! Deus, abençoe meu filho com este dom!”.

Em vez de pedir que Deus te mate, ore: “Senhor, me dá a vitória que o Senhor deu a Davi!”.

Você pensa que vencer aquele gigante era fácil? O exército inteiro tinha medo de Golias! Ninguém tinha coragem de enfrentá-lo!

Mas Davi foi ousado e teve o discurso que agradou a Deus: “Quem é esse monstro, incircunciso filisteu? Quem é ele pra afrontar o exército de Deus?”.

O segredo é fazer com que os teus pensamentos e as tuas palavras vençam aquilo que veio te matar!

Pode fazer um comparativo. Você já reparou que as pessoas que só falam mal dos outros, reclamam e amaldiçoam são mais infelizes?

Já as pessoas que falam do amor Deus, dos seus milagres e das bênçãos que Ele tem pra derramar são mais leves.

Quando seu pensamento e o seu discurso mudam, o ambiente muda também! Com este posicionamento, Deus também te dá criatividade e estratégias. Você passará a enxergar as coisas de uma forma diferente. Como Davi, que conseguiu enxergar naquela pedra uma arma devastadora.

Eu quero finalizar o pensamento de hoje com dois versículos:

“A língua serena é a árvore da vida, mas a perversa quebranta o espírito” – Provérbios 15: 4.

“Palavras agradáveis são como favo de mel: doces para a alma e medicina para o corpo”. – Provérbios 16: 24